16/07/2015

16/07/2015

Resenha: Clube das Desapaixonadas - Mariana Mello Sgambato

| |

Título:  Clube das desapaixonadas

Idioma: Português


Gênero: 
Literatura nacional / Romance

Ano: 2014

Tipo de capa: Brochura
Páginas: 204

Edição: 1
Autor: Mariana Mello Sgambato

Formato: Médio
Editora: Novo Romance


 





Leila era uma garota solitária, não porque não se dava bem com as pessoas e sim porque se mudara recentemente e ainda não tinha feito amizade com alguém que te daria valor. Em uma excursão ao zoológico com o pessoal do novo colégio, Leila fica sozinha, e desastradamente é picada por uma abelha. Com isso conhece Bernardo que a ajuda e a apresenta seus amigos, que se tornam amigos dela também.

Bernardo tornou-se um irmão mais velho de Leila, sempre procurando protegê-la e sempre se preocupando com o que ela faz. Desesperada, carente e outras formas de dizer que a pessoa está na seca... certamente justificam Leila. Ela e suas amigas, agora ela as tem, sofrem com rapazes que brincam e depois caem fora.



-Nós três estamos fazendo tudo errado! – Ela explicou sua teoria com um sorriso. Verteu todo o espumante de sua taça na boca e engoliu de uma só vez. – Esse negócio de ser romântica, bonitinha, responder as mensagens de carinho e ainda por cima se entregar o coração em uma bandeja ta tudo errado! Temos que usar a teoria do chiclete!

- Como assim? – Ruth pelo visto partilhava da mesma falta de genialidade que eu.

- Sair e cair na pegação, mas sem se apaixonar! – Drica falou.
 



A ideia foi a seguinte: pegar geral, sem mais nem menos. Teriam um site para relatar as farras... até possuíam um nome, Clube das Desapaixonadas. Ruth e Drica, que faziam parte do clube, tiveram uma grande facilidade para começar, mas foi só quando Leila mergulhou de cabeça que obtiveram sucesso com isso. Lembrando que não era o objetivo delas fazer sucesso, mas sim pegar geral.


Leila com seus textos criticando os hábitos masculinos despertou interesse em uma revista feminina, e entendemos que uma inveja atingiu as duas amigas, que iniciaram o Clube. Sua vida estava uma bagunça. A vida amorosa, o trabalho e suas amizades cogitaram numa confusão maior que já teve. Chegou um dia que ela teve que escolher, entre dois homens, o que seria seu amor. Fabrício ou Bernardo? O garanhão ou seu melhor amigo? 


Em um final completamente estranho (desculpa ai, Mariana) o livro termina. Após saber realmente quem é o amor de sua vida, Leila corre atrás dele. Corre mesmo... ele estava prestes a sair do país pelo pequeno fora que tinha levado (de quem? Se você respondeu Leila, acertou!) Não contarei quem é, mas era de se esperar. Eles se encontram no aeroporto e ele a leva para jantar. Fim


Nessa edição que li contém algo a mais além da história, contém extras. Temos o ponto de vista do Fabrício, do Bernardo, Ruth e de Drica... como se fosse uma continuação. É interessante saber o que eles pensam, notamos a personalidade de cada um e até concordamos o que a protagonista já falou sobre eles.


O Clube das Desapaixonadas tem uma continuação. Acho legal para quem gostou do que leu procurar a continuação no segundo livro. Se tiver a oportunidade com certeza vou lê-la.


  Por hoje é isso. Agradeço a visita. Abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!

Agradecemos comentário. Ficamos contentes em tê-lo aqui no blog. Críticas são aceitas, mas qualquer xingamento ou comentários indevidos serão excluídos. Ok? Obrigado!